sábado, 23 de julho de 2016

Artigo violência contra animais

Artigo violência contra animais
Alyson Miguel Harrad Reis
Colégio Estadual Professor Cleto,Curitiba
Semana passada eu Alyson Miguel Harrad Reis estava vendo o meu facebook, e percebi uma postagem de um amigo, ele parecia estar com muita raiva. Quando eu li o texto  ele estava falando de violência contra um cachorro.
E eu fui assistir ao vídeo. Durante o vídeo um homem amarra uma corda no pescoço do cachorro e aí ele passa por cima do balanço e puxa com toda a força por um bom tempo, e depois disso ele larga a corda e o cachorro cai com toda a força no chão e ele começa a rodar deixando assim o cachorro girando no ar. Depois disso começa a dar trancos de um lado para o outro com o cachorro, e ele começa a bater no cachorro com a corda, e sem poder fugir por estar amarrado à corda o cachorro começa a gritar. Pelo grito parecia uma fêmea, grita muito alto e fino.
Durante o grito do animal, eu comecei a chorar assistindo ao vídeo, porque nessa hora eu lembrei de que quando eu tinha 11 anos quando fui adotado pelos meus pais, eu tinha muito ciúmes do meu pai com o meu cachorro, e eu não gostava muito do cachorro, eu maltratava, dava tapas, enforcava e chutava. Depois de algum tempo percebi que não era necessário fazer isso com um animal inofensivo. Até hoje me arrependo de ter feito isso com o meu cachorro Vitor.
  Quando eu tinha 7 anos, lá na minha favela no Rio de Janeiro, eu matei um gato preto afogado, porque me ensinaram que gatos pretos eram do capeta, que não podia chegar perto, que eles tinham que morrer. E quando vi um peguei e coloquei dentro de um balde d’água. Até hoje me lembro e me arrependo de ter feito isso.
E ano passado tinha outro vídeo de um cara que estava com preguiça de dar banho no seu poodle. Ele simplesmente colocou seu cãozinho na máquina de lavar e lavou e  depois de centrifugar o cachorrinho morreu, e o cara rindo ainda no final do vídeo que ele mesmo gravava.   
Isso é um absurdo, assim como a violência contra mulher é crime, violência contra animais também é.
Eu sei que um dia, anos atrás eu cometi um pecado e sei que Deus me perdoou porque não fiz outra vez porque eu arquei com as consequências.
Esse artigo tem a ver com a minha vida porque um dia eu já fiz violência contra um cachorrinho.
Eu aprendi com esse artigo que não é necessário bater em um animal. Pra que isso? Ele não fez nada. Um animal não sabe o que está fazendo, assim como um bebe. Não entende muito as coisas, só entende a hora do carinho, de comer e passear. Só isso mais nada. Para que bater no bichinho inofensivo. Os cachorros são tão fofos.
Bom esse artigo serve para mostrar que violência contra animais é crime e se um dia a pessoa do vídeo ler isso com certeza vai se arrepender do que fez assim como eu e muitas outras pessoas. 
Alyson Miguel Harrad Reis
Como Denunciar Maus Tratos
Se você presenciar qualquer animal sendo maltratado, você deve denunciar pessoalmente na Delegacia de Polícia Civil Especializada ou mais próxima, na Promotoria do Meio Ambiente ou nas Secretarias Municipais do Meio Ambiente em seu município (muitas vezes aceita via 156). Não se Omita!

Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente | DPMA – Curitiba
Rua Erasto Gaertner, 1261 – Bacacheri
(veja como chegar)
dpma@pc.pr.gov.br
(41) 3356-7047

Como proceder na Delegacia de Polícia para denunciar maus-tratos a animais e obter o Boletim de Ocorrência (BO)
DrªMaria Cristina Azevedo Urquiola – Advogada

Casos que caracterizam maus-tratos:
- Envenenar animais;
- Manter animais em locais sem as básicas condições de higiene e sem luminosidade;
- Manter animais confinados em locais pequenos, desproporcionais ao porte do animal ou que restrinjam a um mínimo sua movimentação;
- Manter animais permanentemente presos a correntes;
- Golpear, ferir, torturar e/ou mutilar animais;
- Utilizar animais em espetáculos que gerem pânico, estresse ou sofrimento;
- Agredir fisicamente animais indefesos;
- Abandonar animais;
- Não proporcionar alimentação e água com regularidade necessária para a manutenção da saúde do animal, bem como não procurar um médico veterinário se o animal adoecer, etc.
[ver art. 3º do Decreto Federal 24.645/34]
Não pense duas vezes: vá à delegacia mais próxima para lavrar boletim de ocorrência ou, na dúvida, no receio, compareça ao fórum para orientar-se com o Promotor de Justiça. A Denúncia de maus-tratos é legitimada pelo Art. 32, da Lei Federal n.º 9.605 de 1998 (Lei de Crimes Ambientais).



domingo, 17 de julho de 2016

Artigo a dança na minha vida

Artigo a dança na minha vida
Alyson Miguel Harrad Reis
Colégio Estadual Professor Cleto, Curitiba
Desde de que nasci sempre gostei de dançar, sempre tive DVDs da Rihanna, Beyoncé, Shakira.
Sempre via os DVDs e tentava imitar, sempre dançava tinha vezes que ficava o dia todo assistindo os DVDs e dançando.
Nunca cansei de dançar. É minha vida.
Quando fui adotado por Toni e David, pedi para eles me colocarem numa escola de dança.
Aí fui apadrinhado por Márcio Marins e ele era carnavalesco da Escola de Samba Realeza e eu ia sambar, e quando estava perto do desfile de carnaval a Dia Masculina do Jair orais foi ensaiar porque eram a comissão de frente da escola e ele me viu dançar e então me convidou para participar da companhia.
 Foi aí que começou tudo, era ensaio de segunda à sexta das 19 às 23 horas. Muito puxado o ballet deles, no começo gostava, mas aí começei a desgostar de ballet e quando faltava um mês para a apresentação no Guaíra eu saí. Maior cagada que fiz e me arrependo.
Fiquei um ano sem aula de dança. Só dançava nas apresentações do colégio.
Um ano se passou e então conheci a dança moderna na UFPR.  Apaixonei-me e comecei a fazer. Eu amo dança moderna. As aulas eram muito legais, de segunda à quinta, das 15 às 16 e 30. No final do ano nos apresentamos. lá  na UFPR eu havia conhecido um menino que dançava em outro lugar fiquei curioso e perguntei onde era e o nome. O nome é Eliane Fetzer Centro de Dança. Fui com ele até lá e conheci o jazz, e mais uma vez me apaixonei, e então falei com meus pais e então no ano seguinte fui até lá com meus pais e me colocaram no jazz, e indicaram para fazer ballet também é acabei fazendo. Depois de um tempo conheci o hip-hop lá mesmo, e aí começei a fazer. A Eliane Fetzer é uma escola muito boa super exemplar muito dedicados os professores, super gente boa.
E soube que ia dançar em palco e eu nunca dancei em palco na Fernanda Montenegro. Fiquei muito ansioso e quando chegou o dia da apresentação seguinte eu fiquei muito nervoso.
Dia 10 de julho de 2015. Nunca vou esquecer esse dia. Foi uma realização pra mim. Queria pedir obrigado para meus pais e os professores da Eliane Fetzer por me incentivarem a me dedicar.
Nunca desista dos seus sonhos, eles se realizam. Nem que seja a coisa mais difícil de fazer, nunca desista, você consegue!

Alyson Miguel Harrad Reis



Resenha de três poemas do livro Quadrinhas brasileiras.

Resenha de três poemas do livro Quadrinhas brasileiras.
Autor: Silvio Romero
Editora: Scipione  
Alyson Miguel Harrad Reis
Colégio Estadual Professor Cleto, Curitiba  
O  livro é muito legal, conta muitos poemas bem legais e os três que eu mais gostei foram:
1)Minha galinha pintada,
E meu galo carijó,
Se a minha galinha e boa,
o meu galo inda mió.

Já fui galo,  já cantei,
Já fui senhor do poleiro
Mas hoje,  desprezado,
Nem cisco no terreiro

2)Se eu soubesse com certeza.
Que tu me tinhas amor,
Caía nestes teus
Braços como o sereno na flor.


Minha laranjeira verde,
De que estás tão desfolhada?
"foi do vento desta noite,
Sereno da madrugada".

Fui ao mar buscar laranjas
Fruta que no mar não tem;
Vim de lá todo molhado
Das ondas que vão e vem.

3)A pulga me deu um tapa,
Um piolho um bofetão,
Depois foram se gabar
Que me botaram no chão.

Da Bahia me mandaram
Um presente com seu molho;
A costela de uma pulga,
O coração de um piolho
Eu aprendi com esses poemas que ninguém é melhor que ninguém, todos somos iguais.

Esses poemas têm a ver com a minha vida por que ás vezes falam “se o Alyson é bom, o irmão dele é ainda melhor”.

sábado, 16 de julho de 2016

Artigo: Amor e família

Artigo: Amor e família
Alyson Miguel Harrad Reis
Colégio Estadual Professor Cleto, Curitiba

Minha família pode não ter um pai e uma mãe, mas ela tem dois pais e tem muito amor, muito mesmo. Nunca fui tão amado. Amo muito vocês. Obrigado por tudo que vocês fizeram por mim e principalmente meus pais Toni Reis e David Harrad, obrigado por todos os limites que colocaram e estão colocando em minha vida. Não me arrependo de ter dito sim no dia  quando a mulher do fórum perguntou se eu queria conhecer o casal gay e foi a melhor coisa que fiz em minha vida. Agradeço cada estresse que teve nesses 6 anos que me fizeram melhorar e muito. Hoje não posso dizer que sou o mesmo Alyson de 6 anos atrás. Claro que não sou perfeito, ainda tenho a melhorar como todo mundo, porque ninguém é perfeito. 
E agora sinto que Jessica e Filipe são meus irmãos de verdade oficialmente porque já chegou o registro deles com o nome "Harrad Reis"  Amo vocês demais. Obrigado por tudo. Somos Harrad Reis 
❤❤❤ 
#estoumuitofeliz #somosfamilia #amomuitooo#mesmosdireitos 
#felicidade #somosharradreis

Artigo estudos

Artigo estudos 
Alyson Miguel Harrad Reis

Colégio Estadual Professor Cleto, Curitiba
Para que estudar?
Tem aquele adolescente que fala assim: _ Para que estudar?
O estudo é fundamental para a vida. Precisamos estudar para fazer praticamente tudo. Um exemplo: andar de skate, se uma pessoa quiser andar de skate e não souber? Vai ter que estudar para poder saber! Viu só! Até para andar de skate tem que estudar.
Para que servem os estudos?
Os estudos servem para você aprender as várias questões, principalmente para o seu futuro, para poder saber fazer as coisas mais pra frente da sua vida.
Se você não estudar na idade certa, irá ter que fazer a EJA (Educação de jovens e adultos) para recuperar tudo que você não estudou.
Hoje em dia qualquer emprego exige o mínimo de estudo.
Na escola sempre tem os professores chatos que você não gosta, aquelas matérias que você odeia, mas tudo nessa vida é passageiro.
Na vida a gente tem três objetivos:
- Ser cidadão (com direitos e deveres)
- Desenvolver-se como ser humano
- Ter um trabalho fixo com salário mínimo ( ganha pão )
Então todos nós temos que estudar para ser um cidadão digno e inteligente.
Eu Alyson Miguel Harrad Reis não tive um estudo adequado quando criança. Quando fui adotado por Toni Reis e David Harrad aprendi a estudar, a ler e escrever.
Hoje sou um menino educado inteligente e disciplinado. Eu fui adotado com 10 anos e percebi que nunca é tarde demais para ser educado.

 Alyson Miguel Harrad Reis