segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Relato do feriado da Ilha do Mel


Relato do feriado na Ilha do Mel

    Alyson Miguel Harrad Reis
16 anos
Colégio Estadual Professor Cleto, Curitiba PR
No feriado do dia 07 de setembro eu e minha família resolvemos ir para a Ilha do Mel e ficar até o dia 10. No dia 06 a tarde começamos a arrumar as malas para irmos. Pegamos o ônibus e fomos para Pontal. Lá pegamos o barco e atravessamos para a Ilha. Chegando na Ilha fomos para a nossa pousada, e ficamos na pousada do Clodo que também é camping. Nossos pais ficaram em um quarto, eu, Jessia e Felipe ficamos em barracas. O Dad foi ao mercado comprar algo para jantarmos, fizemos macarrão, comemos e lavamos as louças e fomos dar uma volta pelo mar de fora, molhamos os pés na água, conversamos e depois voltamos e fomos dormir.
No dia seguinte acordamos, tomamos café e fomos estudar um pouco, nos arrumamos e fomos almoçar, e enquanto esperávamos a comida, ficamos conversando sobre o nosso novo livro da família, “Família de fato, família de direito...” estaremos vendo os temas do livro e vendo também a parte dos filhos.
O almoço chegou, almoçamos e voltamos ao camping. No caminho compramos um refrigerante, tomamos um copo e ficamos livre. Jessica foi visitar as amigas dela, eu fiquei com minhas amigas do camping e Filipe foi jogar futebol.
No camping tinha uma cadelinha chamada Katrina, que era dos donas, a Tânia e a Juliane.
Mas tarde o Dad fez um macarrão para jantarmos, comemos e fomos dormir.
No dia seguinte, acordamos e fomos tomar café. Depois do café, os papais foram conversar sobre o livro, eu, Jessica e Filipe fomos fazer o Kumon. Depois cada um ficou livre para fazer coisas. Voltamos às 13 hrs e fomos para o restaurante Fim da Trilha para comermos uma paella valenciana com nossos pais. Depois do almoço eu e Filipe fomos andar de stand-up e Jessica foi dar uma volta com as amigas delas, logo depois ela voltou e nos três tomamos um banho de mar e fomos para casa.
Fomos para casa e descansamos um pouco e o Dad fez a janta, comemos e fomos para o forró que é uma festa para as pessoas da Ilha se divertirem, voltamos e fomos dormir.
No dia seguinte acordamos tomamos café e fomos para Brasília (O outro lado da ilha) com nossos pais e nossos amigos. Passamos por pedras, muitas prais e montanhas.
Fomos até o forte. Chegando lá almoçamos e eu, Jessica e Filipe fomos levar nossos amigos para conhecer o forte e o mirante. Depois descemos e voltamos para casa, estávamos muito cansados, descansamos e fomos dormir.
No dia seguinte acordamos tomamos café, eu, Jessica e Filipe fizemos o Kumon e fomos arrumar as malas para irmos embora. Depois ficamos livres um pouco e depois fomos almoçar. Depois do almoço já fomos pegar as malas para irmos embora. Pegamos o barco para atravessar de volta e depois pegamos o ônibus e voltamos para Curitiba.

Eu adorei o feriado na Ilha do Mel com a minha família. Aprendi varias coisas e experiências inesquecíveis.     

Soldado é assaltado por Militares, minha opinião sobre isso

Soldado é assaltado por Militares, minha opinião sobre isso

    Alyson Miguel Harrad Reis
16 anos
Colégio Estadual Professor Cleto, Curitiba PR
No sábado dia 02 de setembro aconteceu uma tragédia que saiu no
 jornal Globo G1:
Quatro policiais militares do 5º BPM (Praça da Harmonia) foram presos na madrugada deste domingo (3) suspeitos de agredir e assaltar um soldado do  Exército. O caso aconteceu no sábado (2), na Avenida Francisco Bicalho, na Leopoldina, em São Cristóvão.
De acordo com informações da Corregedoria da PM, dois soldados e dois sargentos estavam na Leopoldina para inspecionar ônibus e evitar assaltos a coletivos na região. Era por volta de 22h quando os PMs abordaram um soldado do Exército que estava a caminho do serviço. Durante a inspeção, a vítima relatou a PMs do órgão correcional que foi algemada e agredida com um soco no rosto, mas não reagiu ao ataque.
Mesmo constatando que não havia nada de errado, os militares   revistaram o homem e retiveram alguns pertences. Depois, o soldado do Exército percebeu que, das coisas momentaneamente apreendidas pelos PMs, faltava parte do salário que estava na carteira e um maço com nove cigarros.
Inconformado, o soldado foi, em seguida, registrar a ocorrência na 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM), no Méier, na Zona Norte da cidade. Policiais da Corregedoria saíram para realizar diligências e, neste domingo, encontraram os PMs suspeitos de roubar o soldado do Exército.
Os suspeitos foram, então, levados para a delegacia da PM e acabaram reconhecidos pela vítima. Com os PMs, os agentes do órgão correcional encontraram R$ 509 em espécie e um maço da mesma marca e com, exatamente, nove cigarros, como o soldado detalhou ter sido levado. Além disso, o soldado fez exame de corpo de delito e ficou comprovada a agressão no rosto.
Os dois soldados e os dois sargentos do 5º BPM foram indiciados pelos crimes de lesão corporal e roubo qualificado. Os militares já  estão presos na Unidade Prisional da Polícia Militar, em Niterói.
Eu acho que nesse requisito de assalto e roubo o nosso Brasil está cada fez pior.
Os militares estavam trabalhando para não houvesse assaltos e sem mais nem menos apreenderam um soltado que estava a caminho de seu trabalho.
Eu acho que eles deveriam ter mais consciência no que fazem, honrar o seu trabalho e não trai-lo desta forma.
  
Perguntei a várias pessoas sobre  esse acontecido, e tirei várias conclusões com as opiniões que as pessoas tiveram.                       
As pessoas não devem tocar no corpo de outra pessoa sem a autorização da mesma.                       
 A partir do momento que uma pessoa toca no corpo da outro sem a autorização da mesma é crime, está invadindo a privacidade de uma pessoa. É como se estivessem entrando dentro de sua casa sem pedir autorização.                       
 As atitudes desses polícias não foram boas já pelo fato deles pensarem em fazer algo de ruim que prejudique um cidadão é contra as leis de um policial.

Eu aprendi com essa notícia que devemos ser leais e cumprir as leis, e aprendi e concluí que se cada brasileiro cumprisse sua parte o Brasil seria um país muito melhor.

sábado, 2 de setembro de 2017

Artigo A importância do estudo na vida de uma pessoa

Artigo
A importância do estudo na vida de uma pessoa
Alyson Miguel Harrad Reis
16 anos
Colégio Estadual Professor Cleto, Curitiba PR
Estudo. Qual a sua importância? Em uma era digital, globalizada, em que os jovens, principais e essenciais elementos do estudo e educação, recebem toneladas de informações a todos os momentos, os estudos acabam sendo deixados de lado e, muitas vezes, banalizados, faz-se necessária a revalorização deste elemento essencial para a formação do indivíduo.
Conhecendo a realidade do nosso país, onde a corrupção e desvio de dinheiro reinam e saúde e, principalmente, educação são deixados de lado, acaba tornando-se trabalho do povo reconhecer a importância do estudo.
Os estudos também nos ajudam a decidir com mais clareza o que fazer, não só em uma conta de matemática, mas na realização de grandes planos para nossa vida.
O estudo deve ser valorizado, para termos um futuro melhor porque com certeza vai ser muito bom para a vida que teremos mais para frente.

Muitos jovens pensam que o estudo não vai servir para o futuro deles, pensam que estudar e chato, que é tudo um saco, e na realidade pensam no melhor para o presente e isso é ruim e preocupante.
Por que devemos estudar?
Para que estudar?
Baskara vai servir para que na minha vida?
É muito chato estudar!
Não estudo porque não quero!
Essas afirmações e perguntas são faladas todos os dias por jovens, não só do Brasil, e sim do mundo todo.
Eu Alyson Miguel Harrad Reis já me fiz essa pergunta, por que estudar? E depois de um tempo eu mesmo me respondi, que era necessário estudar, para que eu tenha um futuro melhor.
Esse artigo tem a ver com a minha vida porque eu pensava que o estudo não ia servir para nada, mas agora eu penso diferente porque eu preciso dele para tudo. Sem estudo eu não sou nada.

Eu aprendi com esse artigo que é necessário estudar.